Remove these ads. Join the Worldbuilders Guild

Luskan

Luskan, também conhecida como a Cidade das Velas, era uma cidade portuária na foz do rio Mirar, na Costa da Espada Norte. Apesar da presença das Dez Cidades, foi considerado por muitos o maior alcance da civilização.   Embora uma vez uma cidade movimentada, nos dias anteriores à Praga Mágica, a cidade sofreria muito nas mãos de Arklem Greeth. O desastre resultante permitiria à Praga Mágica quase dizimar a cidade, com apenas uma fração de sua população anterior.   Sammereza Sulphontis disse que os comerciantes de Luskan "sempre usam peles, expressões altivas e espadas prontas". Os comerciantes luskanitas estavam sempre alertas e bem armados. O povo de Luskan sempre tendia a ser tenso e paranoico - com razão, por causa dos perigos da cidade dura - e eles eram extremamente preconceituosos contra os não humanos. De fato, poucos não-humanos foram autorizados a passar pelos portões da cidade.

Governo

A partir de 1372 CV, a cidade era oficialmente governada pelos cinco Altos Capitães de Luskan, todos ex-senhores piratas e cada um deles liderava uma facção chamada "navio" com o nome de seu respectivo capitão: Navio Taerl, Navio Baram, Navio Kurth, Navio Suljack e Navio Rethnor. O verdadeiro poder da cidade residia na Irmandade Arcana.   Os Altos Capitães encorajaram o assédio às rotas comerciais de pequenas cidades como Mirabar, Neverwinter e Ruathym, e fizeram questão de evitar conflitos com Waterdeep e Amn, porque eram muito poderosos.   A Irmandade Arcana também incentivou os comerciantes locais a tratarem os viajantes com desdém e suspeita, devido à possibilidade de serem espiões de seus inimigos, geralmente enviando agentes de baixo escalão para seguir pessoalmente os estranhos.   Dizia-se que Luskan era aliado dos Zhentarim, mas nenhuma evidência disso foi apresentada.   Em 1480, não havia governo funcionando de verdade e gangues (incluindo os navios dos altos capitães) lutavam por territórios dentro da cidade.   Algum tempo depois de 1485 CV, os cinco Altos Capitães de Luskan que governavam a cidade começaram a realizar comércio marítimo legal em toda a costa da espada. Eles também protegeram a cidade e invadiram os reinos da ilha a oeste.

Indústria

Luskan era a porta de entrada para as terras ao norte e, como tal, era um mercado perfeito para o minério das Montanhas Espinha do Mundo e a truta das Dez Cidades no Vale do Vento Gélido. Luskan comercializava prata de Mirabar e madeira de Lurkwood. Também tinha um bom negócio em armas feitas por anões.   Em 1370 CV, Luskan era o principal estaleiro da Mirabar. O comércio com lugares como Amn e Calimshan era realizado em terra neutra no mar, a partir de Mintarn, porque não era desejável associar-se a Luskan.   A partir de 1370 CV, o mercado da cidade só permitia barracas com permissão. Estes foram dados apenas às empresas de Luskan e aos estrangeiros que foram observados de perto. As principais ofertas do mercado eram produtos frescos, lenha e bugigangas.   Depois que Bregan D'aerthe assumiu a cidade, eles começaram a negociar artefatos netherese para Menzoberranzan.

História

Antes da Praga Mágica

  Construída sobre as ruínas da antiga e mágica cidade de Illusk, Luskan era uma cidade portuária frequentada por piratas, ladrões e outras pessoas de má reputação interessadas em dinheiro. Embora a vida dentro de seus muros fosse perigosa, Luskan era uma cidade muito lucrativa. Piratas trouxeram seus produtos para serem vendidos ao mercado negro, os comerciantes do norte frequentavam o local como uma parada para as dez cidades nos meses mais quentes, prontos para comprar ornamentos exóticos de truta, várias tabernas comercializadas em cerveja e outras bebidas alcoólicas, os traficantes de drogas e escravos eram abundantes (embora obviamente sublimados) e os corretores e prostitutas de informação exerciam seu comércio durante a noite.   Houve um período na história de Luskan durante o qual os anões de Mirabar pintavam ovelhas luskanitas com cores diferentes em atos de desafio, mas a partir de 1370 CV essa prática terminou após represálias selvagens dos luskanitas.   Luskan tinha um histórico de guerra contra potências navais menores e derrotou Ruathym (não pela primeira vez) em 1361 CV. Ela se retirou diante da guerra contra a Aliança dos Lordes. Luskan já havia sido derrotado por Gundarlun, Lantan, Mintarn, Orlumbor e Tuern. O conflito contra Lantan foi desastroso o suficiente para que os habitantes de Luskan nem reconhecessem o ocorrido. No interior, Luskan atacaria Mirabar e as tribos de Uthgardt para mantê-las submissas.   No outono de 1376 CV, Luskan foi atacado por um exército de mercenários liderado por lorde Brambleberry, de Waterdeep, e auxiliado pelo famoso capitão Deudermont. O ataque destruiu a Torre Anfitriã da Irmandade Arcana e a população agradecida instalou Deudermont como seu governador. Embora ele tenha tentado reconstruir o maior número possível de casas antes do inverno, os suprimentos eram escassos e a maioria dos alimentos vinha através do navio Rethnor na forma de uma estranha carne picante e fungos comestíveis. Pessoas estavam sendo assassinadas todos os dias por essa comida e aqueles que não estavam preparados para matá-la, morriam de fome. Quando os suprimentos de Waterdeep foram enviados para ajudar a nova cidade de Deudermont, as caravanas terrestres foram atacadas por bandidos pagos pelo Navio Rethnor e a frota de navios comerciais que deveria atracar foi atacada por Arklem Greeth, que (desconhecido para todos) sobreviveu à destruição da Torre Anfitriã. Quase nenhum dos suprimentos chegou e Kensidan assassinou Suljack, o que desencadeou uma guerra de rua entre as massas famintas e os guardas que haviam sido subornados pelos navios Rethnor e Kurth. Ao mesmo tempo, Arklem Greeth atacou a Fada do Mar. Quando o cadáver de Deudermont foi encontrado, estava tudo acabado. Os sobreviventes fugiram da cidade, deixando os quatro capitães restantes para governar o lugar, embora Kensidan e Kurth dominassem Baram e Taerl. Luskan se tornaria um porto franco, um local de comércio onde absolutamente nenhuma pergunta seria feita.   Desconhecido para a maioria, muitos dos recursos e informações que levaram a esse resultado foram fornecidos por Bregan D'aerthe, que, mais uma vez liderado por Jarlaxle, queria compartilhar os lucros que o porto franco esperaria produzir.  

Após a Praga Mágica

  Nos anos após a Praga Mágica, Luskan caiu em ruínas. No século seguinte, o governo da cidade mudou de mão em mão para mão tantas vezes que seria quase impossível documentá-las com qualquer tipo de detalhe. O resultado foi uma sombra do que a cidade já foi. A maioria dos prédios estava arruinada e assassinos e adoradores de demônios vagavam pelas ruas livremente, exercendo seus negócios em plena luz do dia. Tribos miseráveis de goblins e kobolds se escondiam nas sombras e o pântano fétido que outrora era o estuário do rio Mirar estava infestado de horrores aquáticos. O local se tornou um refúgio para criminosos fugitivos que, embora escapassem da punição por seus crimes, provavelmente morreriam no final da lâmina de um psicopata ou da garra de um monstro. Bregan D'aerthe continuou seu domínio semi-secreto da cidade e seus mercados de negociação, associados ao Navio Kurth. De fato, um de seus agentes, Beniago, disfarçado de humano, tornou-se o capitão supremo Kurth.   Em 1483 CV, a cidade e suas pontes estavam em mau estado. A rajada Ponte Superior era comandada por gangues que exigiam passagem para travessia. O Posto Comercial Dragão Vermelho não estava mais em operação, mas a Casa dos Cavalos de Baliver ainda estava, abrigando um pônei por 3 moedas de prata por noite. Jax Caolho era uma estalagem e taberna na margem norte administrada abertamente pelo Navio Kurth.

Maps

  • Map of Luskan
Nome(s) Alternativo(s)
Cidade das Velas
Tipo
City
Gentílico dos Habitantes
Luskanitas
Locais Inclusos
Organização Proprietária
Altos Capitães de Luskan

Remove these ads. Join the Worldbuilders Guild

  • 3000


    Fundação de Illusk
    Founding

    Imigrantes de Ruathym removem os Caçadores do Gelo da área e fundam uma colônia na boca do Rio Mirar.

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 2103


    Illusk é arrasada por uma horda orc
    Disaster / Destruction

    Uma horda orc liderada por gigantes destrói Illusk, mesmo com arcanistas Netherese ajudando a proteger a cidade.

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 425


    Refundação de Illusk
    Population Migration / Travel

    Fynran o Senhor das Chamas de Netheril refunda a cidade de Illusk, transformando-a em uma magocracia liderada pela Grande Cabala.

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 354


    Criação da Torre Anfitriã Arcana
    Population Migration / Travel

    Outro arcanista Netherese chamado Melathlar chegou a Illusk, fugindo dos phaerimms. Temendo que fosse seguido, Melathlar se sacrificou para erguer magicamente a Torre Anfitriã Arcana, bem como enormes paredes de pedra e feitiços. Nos anos seguintes, mais e mais refugiados nethereses migraram para Illusk, quando suas casas em Baixa Netheril foram destruídas pela magia de dreno de vida dos phaerimm.

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 111


    Hordas orc descem da Espinha do Mundo ao mesmo tempo
    Disaster / Destruction

    Várias hordas de orcs desceram da Espinha do Mundo de uma só vez e destruíram Illusk e Gauntlgrym, bem como a maior parte de Delzoun. A maioria dos cidadãos de Illusk conseguiu fugir e a população de elfos locais se uniu para derrotar os orcs. Os descendentes Netherese resilientes começam a reconstruir suas casas três anos depois, restaurando Illusk ao seu antigo estado.

    Additional timelines
  • 15


    A expansão de Illusk
    Political event

    A Grande Cabala tornou-se imperialista e expandiu suas fronteiras sul e leste; como resultado, eles rapidamente encontraram resistência élfica de Iliyanbruen (reino descendente de Illefarn) que se tornou organizada.

    Additional timelines
  • 10


    Derrota de Illusk para Iliyanbruen
    Military action

    No Ano das Clareiras em Chamas, um exército élfico liderado por Lorde Halueth Never atacou e derrotou Illusk, apesar de não terem conseguido extinguir toda a resistência dos Illuskani. Após longas negociações de paz, os iluskani e os elfos concordam em fazer do rio Mirar a fronteira entre seus reinos no Ano dos Pactos (-4 CV).

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 10

    87 CV



    Construção do Castelo Never
    Construction beginning/end

    Após o lorde élfico de Iliyanbruen Halueth Never ter derrotado Illusk, ele encomendou a construção do Castelo Never, onde mais tarde será formada Eigerstor (Neverwinter).

    Related Location
    Neverwinter
    Additional timelines
  • 95 CV


    Invasão de Ruathym a Illusk
    Military action

    Ruathenos retornam a Illusk, desta vez como invasores. Eles mataram a Grande Cabala, mas o resto dos magos se retirarou para a Torre Anfitriã Arcana. Esperando ser aclamados como heróis, os ruathenos ficaram surpresos quando o povo illuskani queimou seus navios e os expulsou da cidade. No ano seguinte, Stephan Lançanegra expulsou a maioria dos magos restantes da cidade e se estabeleceu como Grão-Mestre da cidade.

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 100 CV

    123 CV



    Formação dos Uthgardt
    Founding

    Invasores nórdicos de Ruathym, refugiados nethereses de Runlathan e vários outros que juraram lealdade ao chefe mortal, Uthgar Gardolfsson, começam a formar o grupo que seria conhecido como os bárbaros Uthgardt.

    Additional timelines
    Related article
  • 151 CV


    Illusk recolonizada
    Military action

    Illusk, possivelmente enfraquecida por seus esforços para ajudar a reconstruir Gauntlgrym, é capturada por mais uma horda de orcs e renomeada para Argrock. Essa mudança não dura e depois que os orcs foram expulsos, a cidade foi recolonizada por colonos de Yarlith, Torre Uth e Mlembryn. Taman Steeldrake liderou esses colonos como o primeiro Grande Príncipe de Illusk.

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 306 CV


    Mais uma horda orc ataca Illusk
    Military action

    Illusk foi atacada novamente por uma horda de orcs, embora desta vez tenham sido derrotados por um exército de mercenários.

    Related Location
    Luskan
  • 611 CV


    Ataque da Horda Eterna
    Military action

    A Horda Eterna veio da cordilheira Espinha do Mundo e destruiu Illusk (mas a Torre Anfitriã Arcana sobreviveu) e atacou Neverwinter.

    Additional timelines
  • 806 CV


    Laeral aprisiona os lichs da Grande Cabala
    Military action

    Laeral Mão-Argêntea, a rainha bruxa de Stornanter, selou os liches da Grande Cabala dentro da Torre Anfitriã Arcana e começou os esforços para reconstruir e reassentar as ruínas. Quando a construção terminou, a cidade já estava prosperando graças ao comércio florescente com a Mirabar. Esse lucro foi usado para obter recursos para construir fortes muralhas defensivas. A cidade ganhou fortes laços com Stornanter, graças aos laços comerciais mútuos com Mirabar e, mais ainda, quando um duque de Stornanter se tornou o governante de Illusk.

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 1023 CV


    Illusk falha em conquistar Mirabar
    Military action

    Após séculos de comércio e repelindo com sucesso os ataques dos Uthgardt, um grão-príncipe chamado Galnorn tentou e não conseguiu conquistar Mirabar.

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 1044 CV


    Morte do Grão-Prince Galnorn
    Life, Death

    Um mago de Neverwinter revelou que Galnorn era um dúplice e o matou.

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 1235 CV

    12344 CV



    O cerco dos Presa Sangrenta
    Military action

    Outro bando de orcs, que se autodenominava a tribo Presa Sangrenta, atacou e sitiou Illusk. Eles continuaram o cerco por 9 longos anos, arruinando a cidade, até que a última resistência humana foi derrotada.

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 1244 CV

    1301 CV



    Domínio orc sobre Illusk
    Political event

    Os orcs da Presa Sangrenta usaram as ruínas como acampamento fortificado de bandidos por 57 anos.

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 1300 CV


    Reconquista de Illusk
    Founding

    Um exército mercenário de Waterdeep limpou as ruínas de Illusk dos orcs e bandidos. Com a ajuda de Neverwinter, a cidade foi reconstruída e renomeada como Luskan no ano seguinte.

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 1301 CV


    Luskan é formada sobre as ruínas de Illusk
    Founding

    Após a expulsão dos orcs e bandidos, a nova cidade de Luskan é formada.

    Related Location
    Luskan
    Additional timelines
  • 1385 CV

    29
    Tarsakh
    1395 CV



    Praga Mágica
    Metaphysical / Paranormal event

    A Praga Mágica, chamada de Sopro Azul da Mudança pelos habitantes de Abeir, foi um desastre que atingiu o Espaço dos Reinos e até os próprios planos em 29 de Tarsakh do Ano do Fogo Azul, 1385 CV, e foi causada pelo assassinato de Mystra pelas mãos de Cyric e Shar. Ela continuou por uma década, levando aos Anos da Lamentação, durante os quais a magia arcana deixou de funcionar e o planeta de Toril foi transformado.   O adivinho Yaphyll teve uma visão do evento:  

    " A rainha branca está preocupada, mas não sabe dizer o porquê. A rainha negra odeia a branca e dá ao assassino um casaco preto. O assassino se aproxima da rainha branca. Ela não pode vê-lo deslizando pelas sombras. A espada grita. A rainha branca cai. A cidade dela cai. Pedras caem na caverna para esmagar o adivinho. A árvore queima e se agita em agonia. Os galhos se quebram. Os galhos se retorcem e crescem juntos ... ”
    - de uma visão do adivinho Yaphyll
    Em sua visão, Yaphyll se referia a Mystra como a rainha branca e a Shar, deusa da noite, como a rainha negra. Cyric, deus do assassinato, era o assassino, Savras, o deus da adivinhação, era o adivinho, e a cidade, caverna e árvore simbolizavam as estruturas ordenadas da magia desmoronando no caos.

This article has no secrets.