BUILD YOUR OWN WORLD Like what you see? Become the Master of your own Universe!

Remove these ads. Join the Worldbuilders Guild

Umo/Viikgrah (Umoh/Viikigra)

Rumores Sobre um Deus Velado

Um velho draconato residente de um vale isolado em Kyalkraham, de conhecimento de apenas alguns membros da alta sociedade do Principado e lembrado como uma lenda por aqueles antigos o suficiente nas tribos das Tundras Sul. Criador de um estilo de luta próprio, no passado foi um guerreiro formidável, que desafiou Oranak e Mezinkrot II. Além de um combatente inovador e genial, também foi extremamente poderoso e temido. Sua existência inspirava uma era de terror na população dos Vales da Ventania Rubra, assim como o misticismo em volta de seu nome se expandia para os draconatos do período, popularizando a espada de lâmina curva como parte do seu acervo cultural.

Suas origens são obscuras, assim como a lenda do seu poder descomunal. Alguns murmuravam pactos, outros um treinamento intenso diretamente com alguma divindade, enquanto uns falavam sobre alguma benção da própria Mãe dos Dragões. De qualquer forma, seu poder irrefreável não durou muito no conhecimento popular, quando abriu caminho pelo palácio para desafiar pessoalmente Mezinkrot II. Assim, banhados pelo sol descendo preguiçosamente pelo horizonte, foi travado um combate que durou apenas o suficiente para que o grande astro tocasse o delineamento das montanhas. Com um golpe brutal, um braço voou para uma distância que impediu o seu posterior encontro, e este braço era o de Umo.

Mezinkrot, com a vitória, atribuiu seu sucesso para o sol cadente, cujo olho logo se apagava para adormecer após este fechamento tarde. Assim, o príncipe, preparando-se para a execução, teve a surpresa da submissão, quando o draconato se ajoelhou diante dele e ergueu a sua espada, com o fio virado para a sua própria cabeça, erguendo-a para que o humano zinkaniano a tivesse para si. Neste evento não houve execuções, mas um guerreiro havia morrido. Devotando-se ao seu desafiado e homem que o derrotou, Umo jurou lealdade e servidão.

O draconato pediu para que seu nome fosse apagado e nunca mais mencionado, pois já não tinha mais o direito sobre o simbolismo inerente à sua figura. Contrariando-o, Mezinkrot II exigiu que ele na verdade se desse o nome de "Derrotado", na língua-mãe dos dragões, mas que fosse esquecido. E assim o fez, condenado a viver em isolamento. Sua vida não teria mais valor do que uma ferramenta para Mezinkrot, dos filhos de Mezinkrot e dos filhos dos seus filhos, até que a morte o acometesse e o sol degradasse seus ossos. Só teria sua redenção e liberdade quando ninguém mais se recordasse de quem ele foi.

Tornou-se tatuador, uma variação humilde da sua antiga arte marcial brutal, de forma que ainda pudesse ter, consigo, pequenas impressões do que ele foi no passado. Curiosamente, Mezinkrot II fez com que Umo, ou Viikgrah (como passou a ser chamado), treinasse seus filhos e até mesmo uma filha, que mostrou-se feral e valorosa em combate, apesar de não ser um homem. Ele teria de usar uma máscara, faixas e robes que escondessem a sua pele, bem como só poderia ser chamado pelos aprendizes de "mentor". Poucos que caíram nas mãos do draconato saíram delas como um combatente que não fosse, no mínimo, respeitável. O seu estilo de combate foi adaptado, aprimorado e ensinado para as gerações que viriam do sangue real, mas nunca pôde dar um nome para tal. Se questionado, apenas responderia como "um jeito bom de cortar cabeças".

Viikgrah treinou e conheceu diversos, isto beneficiado pela sua expectativa de vida bizarramente longa, que transcendeu primeiro as gerações e, depois, os séculos. Além disto, muito provavelmente qualquer um nos Vales da Ventania Rubra que tenha uma tatuagem, já passou pelo draconato. Apesar de tudo, nunca foi realmente esquecido, nem mesmo do mito popular, ainda mais quando se trata da velocidade dos rumores. Dado todo o misticismo, a história, o mito e sua influência na cultura tanto de Kyalkraham, quanto de Niidbromiiz, alguns ainda podem o chamar de Deus Velado.

Todavia, tudo isto ainda levanta uma questão ecoante nisto tudo, que é a origem de Umo. Não apenas da sua pessoa, mas qual a origem do guerreiro que aterrorizou e inspirou gerações inteiras? De onde que floresceu esta tormenta impetuosa? Talvez nem o próprio saiba, dadas as distâncias do espaço e do tempo que se encontraram no Principado de Mezinkrot.

De qualquer forma, a sua história provavelmente está chegando ao fim, dadas as tensões entre ele e o novo príncipe, Mezinkrot IV, que se apresenta como um exemplar deveras extremista entre todos os outros que treinou e conheceu. De fato, o treinou quando pequeno e sabe do seu temperamento egoísta, ainda mais acentuado pelos mimos de uma corte que teme desobedecer seu superior, mas sente que há algo ainda mais profundo na mente deste homem, que por mais que não tema, já que já viveu demais para temer a própria destruição, ainda fica apreensivo pelo destino de Kyalkraham e de Niidbromiiz como um todo. Tirando o atual governante e as gerações passadas do sangue real, Umo não treinou mais ninguém, vivendo apenas para a sua solitária e singular arte, com a qual espera pacientemente, enquanto escuta claramente o eco da morte se aproximando, de passos pouco discretos — propositalmente pouco discretos.

Não sabe se o que o espera é a sua morte, mas sabe que ela vem, e pelo o que escuta, cego pela ignorância a qual foi condenado, ela está perto.


Inspirações
Age
319 anos
Children
Eyes
Talvez tivesse olhos vívidos um dia, mas agora são de um cinza leitoso
Skin Tone/Pigmentation
Vermelho escuro, que se perde em seu corpo muito tatuado em diversas cores.

Remove these ads. Join the Worldbuilders Guild

Comments

Please Login in order to comment!