Remove these ads. Join the Worldbuilders Guild

Bruxas de Izalith

As primeiras bruxas de Ilienel

Todos em Centúria já ouviram falar das treze bruxas e seus pecados, mas apenas na forma de mitos e exageros correndo livremente ao longo das várias gerações passadas. Aqueles que possuem suficiente conhecimento histórico ou arcano sabem, entretanto, que as Bruxas de Izalith, chamadas ainda de Os Treze Pilares de Alaya, foram as responsáveis pelo Magicae Interregnum durante os Anos do Caos, período em que a magia temporariamente deixou de manipulada e as cidades-flutuantes caíram dos céus.   Iggwilv, a Rainha das Bruxas - e mãe de todas as outras - é conhecida em Ilienel como uma formidável arcanista, apesar de raramente estar no continente. Ela prefere passar seus dias na Dremsleeve, uma dimensão de bolso que ela obteve em algum momento da Era das Estrelas. Iggwilv é a responsável direta pelo cataclisma que consumiu muito da forma como a magia e a ordem funcionavam no plano material, e também aquela que, de maneira quase inexplicável, solucionou a crise.

Structure

"Bruxas de Izalith" é uma denominação genérica para todas as bruxas associadas ao episódio do Magicae Interregnum. O significado da expressão perdeu seu valor na contemporaneidade e muitos assumem que a denominação é apenas uma referência ou homenagem ao grupo mítico de bruxas que existiu em tempos mitológicos. Estas bruxas são sempre arcanistas de beleza e habilidade renomadas, mas não parecem trabalhar em consonância uma com as outras, estando inclusive apoiando lados opostos de guerras ou em posições declaradamente hostis quanto a um mesmo objetivo.   Segundo Lavínia la Croix1, no momento há quatro bruxas em Centúria, e apenas uma delas está alinhada com o Império de Ceres.   Apesar da relação terrível entre as irmãs, todas devem alguma espécie de obediência à Iggwilv e, nesse sentido, são ocasionalmente forçadas a colaborar para atender as vontades de sua mãe. Quanto à longevidade dessas bruxas, seu verdadeiro potencial arcano ou nível de influência e conhecimento na política e nas crises contemporâneas, é seguro dizer que pouco pôde ser apreendido até agora por Cidália.  

Mersa von Cordélia

Mersa é uma elegante e cordial nobre enariana que serviu como Maga da Corte entre 222 e 230 da 3E. Ela também é uma oficial dentro do Véu de Órion e dividiu informações com Cidália sobre o Culto dos Cem Olhos e as atividades ínferas na região enumiana. Apesar de revelar alguma abertura para o grupo, Cidália não obteve a chance de desenvolver com ela uma verdadeira relação de cooperatividade, dado os eventos da Noite Mais Longa, na qual Mersa foi uma vítima quase fatal de Rona Melville. Antes de entrar em coma, a bruxa disse que o grupo deveria buscar sua irmã, Lavínia la Croix, nas redondezas do Bosque Seibre.
 

Lavínia la Croix

Segundo as instruções do grupo, Cidália localizou e adentrou as ruínas anãs de Azabantul, onde encontraram Lavínia vítima de uma armadilha arcana quando tentava desencantar um círculo mágico como o encontrado em Enari e Sargis. Após adentrarem os Vales Lazuli, o grupo dirigiu-se ao centro de Azabantul para utilizar o pilar central como meio de teleporte para a superfície. Lavínia dividiu uma quantidade considerável de conhecimento com o grupo e os ajudou a localizar Adrie Tiadar, bem como a organizar as informações que tinham adquirido até então.

History

Organizando o que lembrava acerca do grupo, Ília Raich recordou dos vários relatos míticos acerca da fundação das Bruxas de Izalith, segundo os quais Iggwilv teria solucionado o Magicae Interregnum ao associar vários empecilhos ou problemas arcanos à existência de suas próprias filhas, criadas diretamente a partir da magia no momento em que a bruxa tentou manipular Mytharia. Isso alarmou Alaya, que imediatamente começou a buscar uma maneira de corrigir a história do mundo na tentativa de evitar a extinção das raças então cada vez mais mortais, o que teria permitido que Iggwilv utilizasse suas filhas como "pilares" - 'tampões', como coloca Ered Illwin - para o estado danificado da magia no plano material.   Darieth Étoile, por sua vez, recordou os ensinamentos de sua mestra, segundo os quais as Bruxas de Izalith não teriam sido usadas como solução, mas sim criadas como a manifestação de diferentes aspectos do funcionamento da magia no mundo, garantindo que esta voltasse ao normal no plano material. Se isto quer dizer que a existência delas é essencial que a magia funcione como Cidália a conhece, ninguém sabe ao certo.

Founding Date
Anos do Caos
Type
Family
Alternative Names
Os Treze Pilares de Alaya

Remove these ads. Join the Worldbuilders Guild

Comments

Please Login in order to comment!