Remove these ads. Join the Worldbuilders Guild

Arena das Provações

Localizada à margem do Bazar Danês de Nádia, a Arena das Provações é uma estrutura circular de dois andares, que muito se assemelha a um fórum grego. Apesar de suas câmaras de treinamento estarem sempre abertas ao público, a arena em si é designada apenas para grandes festivais e competições, como o Festival dos Vermelhos e Azuis.   Em Órion de 230 da 3E, Cidália e outros três bandos de aventureiros participaram do espetáculo principal em homenagem ao apontamento de Louise Sumont como Grande-Baronesa de Mavers, dividindo o prêmio vencedor com o grupo Labareda Fria. Criaturas de toda a província foram trazidas como desafios para as rodadas dos aventureiros.   Foi também na arena que o rei Leofric Anfred Linesch II foi informado do ataque geral nas fronteiras imperiais, o que Ília Raich escutou, além do desaparecimento repetindo de quinze navios da Armada Imperial.

Purpose / Function

Outrora símbolo da submissão humana aos elfos sangrentos nos Anos do Caos, a Arena serve como plataforma para exibição e comemoração da maestria marcial humana, em especial a Fierardi. Destes, os mais adeptos aos espetáculos e batalhas da Arena são os aventureiros. Anualmente, durante a ocasião do Festival dos Azuis e Vermelhos, um grande campeonato é organizado.

Design

Duas estruturas se destacam no layout da Arena: o camarote real e o altar a Altur, Lorde das Guerras e da Paz, em posições opostas.   O altar tem o formato de um portão xintoísta e foi adicionado durante a 3E. Costumava estar em cima de um bloco de mármore, mas após os reparos o bloco foi substituído por um maciço bloco de rocha. Na superfície desta rocha estão os preceitos supremacistas dos elfos sangrentos, completamente riscados e praticamente ilegíveis. Antes de cada batalha, os participantes vão até o bloco e danificam ainda mais estes mandamentos¹.   O camarote real, em posição oposta, é uma sacada com muretes de pedra e tecidos ricos pendurados de todos os lados. Além do trono real e outras posições de destaque, possui pequenas mesas, sofás e assentos para outros nobres convidados, e é severamente guardada por membros do Gancho do Mar.

Alterations

A Arena foi reparada após os danos resultantes da Insurreição de Brales, e por isso conta com uma seção de arquitetura fierardi em parte de seu segundo andar. O interior da arena, quase inteiramente comprometida, foi refeita do zero usando largos blocos de pedra e colunas elevadas. Rampas de acesso extras também foram adicionadas ao nível da arena propriamente dita, para maior diversidade de encontros surpresas. As prisões subterrâneas foram reconfiguradas para guardar bestas e monstruosidades da província.

Architecture

A arquitetura tipicamente élfica é grandiosa e eloquente, com curvas pontiagudas e angulares. A arena é majoritariamente feita do mármore original que estes elfos empregavam em suas estruturas, apesar de algumas seções terem sido alteradas graças a acidentes e batalhas recentes. Muito moderna mesmo para seu tempo, a arena contava com sistemas de inundação e quatro túneis para liberação de monstros. Os aventureiros e gladiadores acessam a arena através de rampas de acesso subterrâneas.   O acesso às arquibancadas são encontrados do lado de fora da arena e atravessam os grandes espaços do térreo, onde também estão salões de treinos, comumente abertos ao público durante todo o ano. O térreo também é um ambiente de convivência, com vários mercadores e ambulantes vendendo comida, tecidos, armas etc. O primeiro andar é um ambiente especial para os competidores, que têm acesso a uma bancada privilegiada para que assistam o desempenho de seus rivais. O segundo andar é reservado para a nobreza e possui o camarote real.   O subterrâneo é dividido em duas partes. Das antigas prisões - remodeladas para guardas criaturas e monstruosidades - saem quatro grandes túneis que dão acesso ao centro da arena. De quatro câmaras à parte, rampas de acesso são abertas para que os aventureiros subam, também, ao centro da arena. Quando há inundação desta, estas rampas também são usadas como método de drenagem.

History

No Império Élfico de Linea, os humanos que desafiavam seus mestres eram destinados às prisões da arena, eventualmente assassinados em cruéis e impossíveis desafios voltados para o entretenimento da população élfica. Em raras exceções, elfos de etnias diferentes, ou humanos nativos da região que resistiam ao domínio élfico também eram trazidos para a arena. Em uma única exceção, um elfo sangrento foi sentenciado a este destino¹.   Quando a primeira rebelião das Guerras da Conquista estourou, a Arena foi um dos focos mais violentos de insurreição. Os humanos tomaram o controle dela e resistiram o controle élfico por quase um mês antes destes últimos decidirem bombardear a estrutura com magia.   Na 1E, já quando as rebeliões haviam com sucesso destituído os elfos sangrentos, a arena foi utilizada na execução em massa de elfos capturados. Mais tarde nesta mesma era, ela serviu como base para uma ordem religiosa. Na 2E ela foi temporariamente um centro comercial, até ser restaurada após a Insurreição de Brales e destinada para festivais e competições oficiais - sem escravos ou o risco permanente de morte.

Founding Date
Anos do Caos
Type
Arena
Parent Location
Capital: Nádia
Ruling/Owning Rank
Mestre da Arena
Owning Organization
Província Nadiana

Remove these ads. Join the Worldbuilders Guild

Guild Feature

Display your locations, species, organizations and so much more in a tree structure to bring your world to life!

Comments

Please Login in order to comment!